USO DE COORDENADAS GEOGRÁFICAS EM FERRAMENTAS DATA DISCOVERY E OLAP

USO DE COORDENADAS GEOGRÁFICAS EM FERRAMENTAS DATA DISCOVERY E OLAP

Muitas ferramentas de Data Discovery e OLAP possuem em seu portfólio a exibição de dados em mapas geográficos que necessitam da localização (coordenadas geográficas) das cidades. O uso de dados geoespacializados, ou seja, informações exibidas em um mapa com pontos de latitude e longitude devem ser sempre analisados para que as localizações exibidas no mapa estejam de forma correta. Muitas vezes, as ferramentas possuem aplicativos incorporados que permitem que as referências geográficas sejam encontradas através da denominação PAIS-ESTADO-CIDADE, mas nem sempre isso é tão perfeito.

Em busca de resolver este problema com mapeamento das coordenadas geográficas, mostrarei neste artigo como formatar e utilizar um arquivo contendo todas as informações necessárias para as principais ferramentas de exibição de dados do mercado, que utilizam componentes de mapas. Culminarei o artigo com um exemplo da aplicabilidade destes dados na ferramenta Power BI da Microsoft(link sobre a ferramenta e aprendizado).

1- Passo

Inicialmente busquei em organizações governamentais como o IBGE, uma das principais fontes de dados geográficos, arquivos que resolvessem o problema. Baixei diversos arquivos sem sucesso, encontrei o que estava procurando no site http://www.monolitonimbus.com.br/coordenadas-geograficas-das-cidades-do-brasil/ 

que facilitou e muito minha busca. Ele possui um arquivo com os dados do IBGE no formato KML (é um formato de arquivo usado para exibir dados geográficos em um navegador da Terra, como Google Earth, Google Maps e Google Maps para celular), mas que para ser utilizado deve ser transformado para um formato fácil de ser entendido pelas ferramentas de mercado, para isso procurei convertê-lo para o formato CSV (formato de arquivo texto extraído da ferramenta Excel) que é facilmente carregado.

Baixei o arquivo: coordenadas_BR.kml

2-Passo

Utilizei um software especifico para leitura do arquivo coordenadas_Br.kml. Para facilitar a conversão utilizei o software FME Data Inspector, que permite a gravação no formato desejado, ou seja, em CSV.

3-Passo

Foram gerados 8 arquivos de dados extraídos do arquivo coordenadas_BR.kml, dentre os arquivos gerados, foi escolhido o que possui o seguinte layout:

ID          - Identificação única do registro

CD_GEOCODSD - Geocódigo interno do IBGE

CD_GEOCODDS - Descritivo do Geocódigo interno do IBGE

NM_DISTRITO - Nome do Distrito

CD_IBGE- Código do IBGE          

NM_MUNICIPIO - Nome do Município

NM_MICRO - Nome Microrregião          

NM_UF - Unidade Federativa

NM_CATEGORIA - Nome da Categoria da Localidade

NM_LOCALIDADE - Nome da Localidade

LONG - Longitude

LAT - Latitude

ALT - Altitude

Um exemplo do formato do arquivo :

A partir deste ponto, o arquivo pode ser utilizado para exibição dos dados.

4- Passo

Para aplicabilidade e demonstração da funcionalidade do arquivo que foi tratado, utilizei a ferramenta Power BI da Microsoft juntamente com um outro arquivo contendo dados fictícios sobre a localização das regiões que possuem casos de ZIKA e CHICUNGUNYA de forma a permitir visualizarmos em um mapa onde estão os focos da doença.

Os dados de latitude e longitude são colocados em locais específicos do objeto MAPA do Power BI, veja:

O campo valor é a quantidade de casos das doenças, as latitudes e longitudes são colocados em seus campos específicos, o Power BI exige que os campos sejam agregados pela média.

Nas principais ferramentas de mercado você encontrará as posições para colocação de latitude e longitude que estão contidas no arquivo MUNICIPIOS-LATITUDE E LONGITUDE-BRASIL.csv

<Clique para ter acesso ao arquivo>

Nenhum Comentário

Escrever um Comentário